segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Meu canto

Canto pelas vielas

Escuras e estreitas

Canto pelas atitudes

Impuras e imperfeitas

Eu canto

Mesmo desafinado

Mas eu canto

Tomando

Teu ouvido de assalto

Quando acompanhado

De acordes improvisados

Fora do tom

De um violão

Esquecido

Em qualquer canto empoeirado.

Assim se fez um canto

Declamado

Poetizado

Cantado

Reivindicando o canto dos guetos

O canto daqueles mesmos

Que cantando expressam

A singela voz do cantador.

Meu canto.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Anjo verde do Acre

Foi no dia 15 de dezembro.

De 1944.

Que nasceu um dos heróis.

De âmbito nacional.

Quem disse que no Brasil,

não temos heróis ou revolucionários?

Esse aos 44 anos foi modelo mundial.

Lutando pelo meio ambiente,

pela manutenção da floresta Amazônica,

contra pecuaristas e latifundiários.

Aos seringueiros deixou seu grande legado.

A nós brasileiros nos contemplou,

deixando seu exemplo extraordinário.

Na labuta dos seringais,

impediu a destruição que as madeireiras,

almejavam para as arvores monumentais.

Que cobre essa imensa floresta,

respeitando as tribos indígenas

e reivindicando reservas naturais.

Quem não gostou de suas posições,

na cidade de Xapuri,

bom sujeito não é.

É ruim da cabeça,

capitalista ao extremo,

um neoliberal qualquer.

Que não merece um mínimo respeito.

Aliás,

foi um desses sujeitos,

que lhe tira a vida,

com um tiro no peito.

E no ano de 1988, a 22 de dezembro,

perdemos um herói nacional.

Em combate, na linha de frente,

contra o desenfreado capitalismo liberal.

Estejas sempre em nossos corações,

o anjo verde do Acre.

Chico Mendes* vive em todos nós.

Com sua mensagem em toda parte.

*Hoje dia 15/12/2010 Chico Mendes completaria 66 anos de idade.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Também tenho um sonho

O sonho de Luther King

Não é, e nem foi só dele

É os nossos também

Dos segregados norte-americanos

De nós brasileiros

Indígenas e latino-americanos

Oprimidos e em pleno engano

É o sonho do mundo inteiro

Um sonho de igualdade

Um sonho verdadeiro

Manifestados em nossas singelas ações

Pouco a pouco transformando a sociedade

Em uma esfera de comunhões

Eu tenho um sonho.

Disse em 1963, Martin

Que defendendo os direitos e a justiça

Também foi ele mártir.

Por isso viva Luther King.

Viva a igualdade, a humanidade

Em plena linda união

Viva a sociedade fraternal

E a prática da conscientização

Entre os diversos irmãos

Brancos e negros de pele

Por dentro iguais de coração

Constituindo essa grande família

No pensamento de Martin Luther King

Que prega a liberdade sem distinção.

Nós compartilhamos desse sonho.

E também nos preocupamos

com silêncio dos bons.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Real Utopia

São vários os tormentos.

Utopias e sentimentos.

Que elas um dia tornem-se realidade.

Mas idealização de hoje.

Será a reclamação de amanhã.

Pelo ideal tardio realizado.

E seguirá assim para os outros e pra mim.

Nunca está bom, sempre queremos mais.

Ou algo por traz daquilo que fingimos ser.

Embora a tensão do dia-dia.

Trabalhamos para o progresso.

E a satisfação de boa companhia.

Lutamos sem saber exatamente,

quem é o verdadeiro adversário.

Apanhamos sem saber de quem, e da onde vieram os golpes.

Batemos, embora nem sinta as forças de nossos punhos.

Calejados pela rotina da briga diária.

O que é certo é que vivemos aquilo, que já foi sonhado por outros.

Outros de um passado não tão ultrapassado.

O sonho de hoje, será a projeção real do amanhã.

E mesmo o idealizador não estando presente.

Saberemos que refletirá sua utopia, seu sonho nos moldes de seu desejo.

E isso será contestado.

A utopia é o sonho que tende a ser alcançado.

Porém em diferente contexto, dessa forma repudiado.

É o sonho do utópico que não viveu sua realização

Mas construiu as bases teóricas para construção.

De sua real utopia.

"Utopia é a emancipação social das suas mais variadas formas, visando a liberdade e a transformação positiva da sociedade.
Segundo Thomas Morus o termo utopia foi forjado a partir de duas palavras Gregas “Ou e Topos” “um bom lugar”, refiria-se a utopia como um lugar ideal de sociedade igualitária, permanecendo por dois séculos." *

*Trecho extraído da postagem UTOPIA, no Blog:http://conscienciaclandestina.blogspot.com


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

SP: Dia de Boicote à tarifa!



Companheiras e companheiro,

Na proposta orçamentária de 2011 apresentada pela prefeitura no final do mês de setembro, para além das muitas barbaridades previstas, a prefeitura prevê o aumento da tarifa do ônibus municipal de 2,70 para 2,90 (ou mais). Em contrapartida a prefeitura anunciou também que pretende aumentar o repasse de verbas públicas para as empresas (i)responsáveis pelo transporte coletivo
de R$ 360 milhões para 600 milhões de reais.
Entendendo que mais um aumento na tarifa do transporte PÚBLICO exclui ainda mais a população pobre e torna mais inviável a locomoção de boa parte da população da cidade de São Paulo, um grupo de pessoas reunidos em atividade organizada pelo
CAPPF (Centro Acadêmico Professor Paulo Freire) em parceria com o MPL (Movimento Passe Livre -SP) decidiu/ optou/ por construir um dia de boicote à tarifa do transporte municipal (quiçá intermunicipal…). Propomos que no dia 30/11/2010 ninguém pague pelo uso do transporte público!!!! As orientações vão no sentido de construir uma ação pacífica e generalizada. As pessoas podem sair pela porta da frente, entrar pela porta traseira, ou pular a catraca!!!! O importante é que durante estas ações sejam garantidos o respeito aos trabalhadores do transporte público (motoristas e cobradores) e o intenso diálogo com todas e todos os
passageiros do ônibus.

Convidamos as demais entidades, militantes, cidadãs e cidadãos a participarem e divulgarem este boicote. Temos consciencia de que esta movimentação não é por si só o fim, ou uma super solução. Mas percebemos nesses últimos dias, de diálogo intenso com as pessoas nos ônibus, que o simples fato de romper com o cotidiano, de falar e expor informações que na maioria das vezes nos são escamoteadas, gera uma grande mudança na forma de perceber e de compreender a nossa sociedade.


“socialismo sem liberdade é brutalidade e escravidão. liberdade sem socialismo é injustiça e privilégio” (Mikhail Bakunin)

http://anarcopunk.org/

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Raça

Na luta constante pela liberdade.

O homem negro sofreu, chorou e sentiu.

A covardia e a desumanidade de seu opressor.

Nos tempos tardios de algum mínimo progresso.

Foi o homem negro que com seu sangue e suor.

Derramado no solo gentil, essa nação se levantou.

Foi uma história que envergonha qualquer animal sem racionalidade.

Mas imaginem a razão dos ditos racionais de tanta insanidade?

Irmãos que escravizam irmãos.

Dizendo que o negro é inferior.

Limita-se a ciência do décimo nono século.

A falar que o branco é evoluído?

Mas com calma meu senhor!

Pra onde vamos com isso?

Quanta afirmação absurda e sem sentido.

Racistas denominam que somos raças diferentes.

Raças?

Cortem-me e vejam que meu sangue é mesma cor do seu.

Se sou branco, negro, vermelho ou amarelo.

Não é minha cor externa que decidirá, ser julgado.

Mas agindo certo serei merecedor da paz de sentido eterno.

Significado de Raça segundo dicionário Aurélio

s.f. Sucessão de ascendentes e descendentes de uma família, um povo; geração: raça de Davi. / Grupo de indivíduos cujos caracteres biológicos são constantes e passam de uma a outra geração: raça branca, raça negra, raça amarela, raça vermelha. / História natural Subdivisão de uma espécie: raças humanas. / Categoria de pessoas da mesma profissão, de inclinações comuns: os usurários constituem má raça. (Sin.: descendência, família, linhagem, geração, estirpe, classe.) // Animal de raça, animal de boa origem.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Dia da consciência Negra


O negro do mundo

O negro ao fundo

Do poço escuro à luz

Da escuridão vejo a cruz

Nesse universo vemos torturas

vivemos em proibições e censuras.

Mas agora há recordação

Saudando Zumbi dessa nação

Uma revolução contra o preconceito

A África trouxe as raízes

De nosso modo de viver

Cultura e conceito

Oxalá, Ogum, Oxossi, vamos revê

Dos deuses subsaarianos

Pra não haver repressão

Fundiram-se assim os divinos africanos.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Esses Conservadores

As organizações que agora mais ainda desorganizada da direita ultra conservadora, aglutinam-se em movimentos conspiratórios, por vezes nem mesmo sabendo do efeito destrutivo de suas posições "ideológicas" de sentido fascista, que abominam qualquer ascensão popular.
Juntam-se em uma reivindicação que não tem direito, aliás nunca tiveram, mas se mantiveram mesmo assim no poder como carniceiros que não querem largar o osso, se conservando estagnados como parasitas destrutivos da massa popular, que divide a sobra de 20% de toda a riqueza do país, enquanto a maior parte do bolo, os 80% é folgadamente reservada a esses 10% de corruptores elitizados, herdeiros de uma riqueza criminosa e assassina e que históricamente escravizou e subordinou a larga massa espremida na parte baixa da pirâmide social brasileira.
Esses conservadores, os mesmos racistas, preconceituosos, e anti-feministas, com uma xenofobia que não tem tamanho e que julgam a população nordestina como analfabetos e que não sabem votar. Esses mesmos que são contra qualquer projeto que beneficie a classe menos favorecida, esses mesmos que não valorizam o trabalho feminino remunerando-as dignamente, esses representantes da mídia e que agora comprimida pelo seu mal desempenho econômico e social está no momento a beira do colapso no sistema capital, que tanto a financiou e que em suas tetas bebeu até a ultima gota de seu leite venenoso, não restando nenhum cheiro para poder resistir à uma reforma já tardia na política nacional e controle nos meios de comunicação dessas redes de alienação em massa.
Esses conservadores que agora estão a espreita de alguma rebarba, julgarão matéria desperdiçada na reconstrução do país que eles mesmos arruinou.
Vão como urubus loucos por carniça que a qualquer brecha do atual governo - que aliás também pouco agrada - para assim plantar um golpe e se manterem no poder.
É bom abrir os olhos pois a mídia já está fazendo sua parte, dividindo o país em dois blocos e aplicando discursos mesquinhos e interesseiros, acuada pela falta de financiamentos que outrora as mantiveram em hegemonia nacional.
Olhos abertos nesses conservadores, fáceis de identificação.
(José Serra, Geraldo Alckimin e a corja do PSDB e DEM "ex-PFL", Johnny Saad, dono da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão, Joelmir Beting, Boris Casoy, Fátima Bernardes e Wiliam Bonner, Arnaldo Jabor e Todos representantes da rede Globo, rede Record, rede SBT, Michel Temer e políticos do partido mais oportunista do Brasil PMDB, esses coronéis que mandam em todo o Norte, Oeste e Nordeste do país, senhores do latifúndio, monocultura e agronegócio,
Jornal O Globo, Folha de São Paulo, Estadão, Revista Veja, Época e Isto é, etc...)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Sarau PERIFATIVIDADE


Salve, salve é a união do SARAU PERIFATIVIDADE, que mais uma vez em sua 4° edição completa com muita alegria seu objetivo, mas esse é só começo.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Yasmim

Como um poeta declamando,

recitando ou cantando

uma mensagem de sua autoria bela

Criada especialmente pra ela.

Inspirada em sua beleza

Contendo um charme,

uma gloria de realeza

canto também meus singelos versos

não como Neruda, Fernando Pessoa

ou o drama de Shakespeare, Otelo.

Canto, recito, declamo

A ausência e os beijos

A falta de seu carinho

Seu afago seu desejo,

Como um poeta triste em não tê-la,

Mas feliz em recordá-la e descrevê-la

Como a mais linda das rosas de um jardim

Florido e o cheiro doce de jasmim

É negra beleza, de cabelos crespos

Seu jeito peculiar de vestir-se

Mostrou-se preciosidade pra mim.

Se achava incompreendida por sua família,

Por amigos, por todos

Confesso que não entendia

Mas adorava e admirava seu gosto.

Minha querida, doce e

Quase fictícia Yasmim.

sábado, 16 de outubro de 2010

Arrepender (não queria)

Mergulho no mar sombrio

Procurando alguma sorte

Na planície de minhas certezas

Chego ao encontro da suave morte

Incerto o infinito...

Caio nesse imenso abismo

Da escuridão sombria

Imagino o que não queria

Não queria...

Não queria...

Mas como presente

Um embrulho

mal intencionado

Recebo com ar

Meio que infantilizado

Aquilo que não queria

Não queria...

Não queria...

De gratidão e vergonha

O que não me compete

Comprometo-me

A afundar na lama

Desse abismo

Que me submerge

Umbral de agonias e dores

Daqueles que perdem tempo

Em propagar o mal como competidores

Jogadores no cio

Nesse mundo sem cor.

Só vejo o que não queria

Mas, também sou culpado

Se não, não estaria desse lado

É isso que me arrependo

De ter feito algo de errado

E permanecer aqui

Onde não queria

Eu não queria...

Não queria...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Como um rio

Nas margens de um rio

Que representa a existência

Sua corrente flui

Na observação da ciência

Esquecendo o amargo da dor

O rico rio que desce do monte

Que coleta vida da pura fonte

Uma energia sagrada

De um principio vital

Pedras no caminho

Sem dúvidas hei de encontrar

E superando-as, continuarei mais forte

Experiente para continuar

Superação que transforma todo o mal

Naquilo que é divino e bom

Nada irá parar o objetivo que o rio traçou

Como meta para alcançar

De seu percurso, as paisagens

A mais linda natureza

Quedas livres, penhascos,

esse rio revela mais poderosa cachoeira

complementando tal beleza

sejamos esse rio

de águas cristalinas e doces

em harmonia com a fauna e a flora

sentindo alegria e prazer

de viver e dar vida

para enfim atingir o mar

o encontro das águas,

tal perfeição veio me inspirar

traçando também o objetivo

de encontrar meu oceano meu mar.


segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Fênix que ressurge do Cinga


Paulo Sérgio, Mestre Fininho, Osmar e Dami

Parceiro Osmar nos presenteou com sua bela arte em Grafite, ainda não está pronta, mas já dá pra sentir a positividade que nos trouxe, agradando os bons olhos da comunidade. Com a esporte/educadora Dami aproveitamos para demarcar a quadra, que está sendo o nosso ponto inicial das intervenções comunitárias, com a colaboração das crianças claro, pois sem elas o projeto não teria razão de existir...
E Feliz dia das Crianças, elas são o futuro daquilo que fazemos hoje.
Asè
Die lig aan babas, die toekoms hoop.
(Luz aos pequeninos, futuros de esperanças.)

sábado, 9 de outubro de 2010

A saga do viajante perdido

No marco, compasso

Atiro-me num raso

Conheço embaraço

Perdido, não faço

O entorno do salto

E junto que fico

Nesse mesmo encalço

Quando estamos em dois

Sinto-me tão só

Assim numa barca

Preparo a rede e o nó

É difícil afundar

com remo, remar

Para assim navegar

Navegam e vagam

Viagem no mar

Oceano gigante

Difícil o fim é chegar

Eu lembro que

Quando acordei

Já estava perdido

O difícil é saber

Onde estou

Quando me viram

Estava no fundo

De minhas idéias

Perdidas no mundo

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

LAMENTÁVEL


1,3 MILHÕES DE LAMENTOS, ELEGEM UM PALHAÇO PARA CÂMARA DOS DEPUTADOS EM BRASÍLIA, ISSO COMPROVA, O POVO VÊ A POLÍTICA COMO UM GRANDE PICADEIRO, EM QUE FALTA ARTISTAS DE UM ELOGIADO CIRCO, E SOBRAM INCOMPETENTES, NUM LUGAR EM QUE DEFINE AS DIRETRIZES DE UMA NAÇÃO.
O PIOR É AQUI EM SÃO PAULO( PSDB ) + 4anos NO GOVERNO... UMA ELITE CONSERVADORA, QUE FAZ DESSE ESTADO UM REGIME TOTALITÁRIO.
O POVO TEM O GOVERNANTE QUE MERECE.
LAMENTÁVEL!
E A EDUCAÇÃO?
QUEM LIGA PARA EDUCAÇÃO?... PAULISTANOS NÃO QUEREM SABER DE ESCOLA, INSTRUÇÃO, FORMAÇÃO DECENTE, TÁ BOM DO JEITO QUE TÁ NÉ?
LAMENTÁVEL!
QUEM CONHECE UMA ESCOLA ESTADUAL SABE, QUE A COISA TÁ FEIA!!!
MAS PARECE QUE A MAIORIA NÃO CONHECE, OU IGNORA A EXISTÊNCIA SUCATEADA DELA E A CARÊNCIA DE UMA ATENÇÃO ESPECIAL NO ENSINO PÚBLICO! BANDO DE IGNORANTES QUE SIMPLESMENTE IGNORAM, FAZEM POUCO CASO.
CONTINUEM AÍ VOTANDO PRA ESSES MERDAS COMO O cara de xuxu( Geraldo Alckimin), O POVO MERECE!
AFINAL FOI ESCOLHA DA MAIORIA, CONTAMINADA PELA HIPOCRISIA DO CONSUMO, CONFORMISMO PEGA!
LAMENTÁVEL!!!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

SARAU DO ÚLTIMO SÁBADO 25 de SETEMBRO

Muita alegria e descontração no Sarau PERIFATIVIDADE, todos lendo poesias de sua preferência, rolou muita música com nossos parceiros da banda BIGBANG 59, mandando o melhor do Ska, Reggae, além da presença sempre presente do Rap e frestyle com Vinão alôbrasil e Silvão e é isso aí o movimento continua. Esta é a 2° Edição e virão muito mais para alegria da comunidade no Cingapura Jd. Climax. Lugar onde está se construindo a consciência cultural, um novo ponto de cultura, arte, debate e atividades produtivas. Valeu a todos que chegaram e participaram, fazendo-se colaboradores ativos do movimento. AXÉ À TODOS NÓS....


video

domingo, 26 de setembro de 2010

Eu queria ser um sábio

Eu queria ser um sábio

Nos livros antigos está escrito o que é a sabedoria:
Manter-se afastado dos problemas do mundo
e sem medo passar o tempo que se tem para
viver na terra;
Seguir seu caminho sem violência,
pagar o mal com o bem,
não satisfazer os desejos, mas esquecê-los.
Sabedoria é isso!
Mas eu não consigo agir assim.
É verdade, eu vivo em tempos sombrios!

II

Eu vim para a cidade no tempo da desordem,
quando a fome reinava.
Eu vim para o convívio dos homens no tempo
da revolta
e me revoltei ao lado deles.
Assim se passou o tempo
que me foi dado viver sobre a terra.
Eu comi o meu pão no meio das batalhas,
deitei-me entre os assassinos para dormir,
Fiz amor sem muita atenção
e não tive paciência com a natureza.
Assim se passou o tempo
que me foi dado viver sobre a terra.

III

Vocês, que vão emergir das ondas
em que nós perecemos, pensem,
quando falarem das nossas fraquezas,
nos tempos sombrios
de que vocês tiveram a sorte de escapar.

Nós existíamos através da luta de classes,
mudando mais seguidamente de países que de
sapatos, desesperados!
quando só havia injustiça e não havia revolta.

Nós sabemos:
o ódio contra a baixeza
também endurece os rostos!
A cólera contra a injustiça
faz a voz ficar rouca!
Infelizmente, nós,
que queríamos preparar o caminho para a
amizade,
não pudemos ser, nós mesmos, bons amigos.
Mas vocês, quando chegar o tempo
em que o homem seja amigo do homem,
pensem em nós
com um pouco de compreensão.

http://www.culturabrasil.pro.br/brechtantologia.htm#aos

domingo, 19 de setembro de 2010

Alienação a paulistana

Deixaram-nos embriagados

Com tanta desinformação

O bombardeio de coisas fúteis

Deixam todos em estado de alienação

Deixaram-nos a mercê

De uma ignorância abominável

Sucateou-se o ensino público

E deixam todos em estado lastimável

Deixaram-nos entender

Apenas o que queriam

Que cultura é sexo explicito em batidas martelantes,

assistir novelinhas e os jogos de futebol nas quartas-feiras

é o que temos de mais importante.

Deixaram-nos entorpecidos

Com várias drogas sem sentido

Deixam a todos completamente viciados

Por comprar algo, consumindo o desnecessário

Deixaram-nos apreensivos

Pela quantidade de despreparados, que colocam nas ruas

E saem dizendo que é investimento na segurança pública.

E desse tal investimento aumenta-se os homicídios,

Cometidos por bandidos que batem no peito de suas fardas exclamando:

- Eu sou o Estado!

E disso saem impunes, pois quem os julga é a própria instituição, que herdeira dos anos de chumbo, demonstra que ainda vivemos em uma injusta Ditadura.

Deixaram-nos nós paulistanos

E todos os agregados de outros estados

Desse Brasil/Nação, legítimos conformados

Desafortunados, conservadores

Daquilo que não temos, mas pagamos

A esse lucrativo Estado chamado São Paulo.

Deixaram-nos atônitos

Com a tal expansão do metrô

E o investimento bilionário

Vistos em propagandas do mercado publicitário.

Em uma obra que deveria ter saído do papel há 30 anos,

Mas os tributos que por nós foram pagos,

Fora usado para outras prioridades “estatais” particulares.

Desses mesmos, que a massa paulistana sempre votou e vira no poder, por duas décadas.

É o que preferem ter.

Enfim deixaram-nos assim: burros, limitados, atrofiados, aplaudindo o PSDB.

O povo elege o governante que merece

Este mesmo povo que dá valor ao superficial e acham que com isso se identificam com a elite que sempre os governou.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Intervenções Culturais de domingo










Com o parceiro e mestre Fininho, o primeiro domingo de aulas de capoeira no Cingapura Jd. Climax. Com essa soma o movimento que se inicia, surge como alternativa para o desenvolvimento da comunidade e acima de tudo das crianças que serão o foco essencial para o levante cultural...
Todo domingo a partir das 16hs.

é só o começo da luta... estamos juntos!!!

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Estado das Praças

Caminho pelas praças.

Próximo da onde resido,

a caminho de casa

Playground, passatempo...

Por um momento,

lembro-me da diversão

que fazíamos em outros tempos.

Mas há coisas, que tanto...

Mas tanto me desagrada,

é ver o acúmulo de lixo

e o mínimo de verde

de forma abandonada,

Papéis, plásticos, entulhos,

bitucas, pneus e outros bagulhos

As praças não são dos aposentados.

Não são das crianças.

Muito menos de cidadão bem intencionado.

As praças não são de lazer,

nem dos namorados, nem dos amigos

são dos enquadros por se entorpecer.

São as praças da condição humana

deplorável, pouco ou nada apreciável,

são grandes, pequenas

quantas são as praças?

Que a sub-prefeitura não zela,

não cuida, não faz nada.

São depósitos de caçambas

que despejam ilegalmente

sua sujeira, suas artimanhas.

São praças de nós,

os verdadeiros e grandes culpados.

De deixá-las assim

nesse péssimo estado.

São praças de moradia de ratos,

nojentos insetos, que transmitem doenças

nesse imenso mato.

Isso por não tomarmos consciência,

de que zelar pelas praças,

é zelar pelo nosso espaço.

Espaço abandonado,

por nós, pelo município, pelo estado.

Estado autoritário.

Que se preocupa mais em

colocar mais Polícia nas ruas,

deixando a educação de lado.

E o resultado!

Um povo desinformado e acuado,

sem nenhum senso ambiental.

Uma comunidade que não preserva o pouco verde,

que ainda temos.

Agindo de maneira irracional.

Onde ontem crianças brincavam,

hoje as mesmas crianças,

lotam os postos de saúde

por pegarem tétano nos

brinquedos enferrujados.

Isso por não tomarmos consciência,

de que zelar pelas praças,

é zelar pelos nossos espaços.